Austrália: Fórmula 1 nova com velho pole

c7qfbqkvwaa4kfc.jpg

Finalmente a Fórmula 1 voltou as atividades oficiais, para a nossa alegria! E muitas coisas mudaram. Os carros mudaram e ficaram mais bonitos – na minha opinião, novos pilotos na área, pilotos que mudaram de equipe, equipes que apresentaram um visual novo em seus carros, enfim, muitas foram as mudanças, mas a postagem não será sobre isso.

O post vai falar um pouco sobre o treino. Apesar de todas as mudanças, as coisas não mudaram tanto como era esperado. No fundo do grid, por exemplo, temos Jolyon Palmer completando a sequência de 20 carros. Lance Stroll, um dos estreantes da temporada e companheiro de Felipe Massa na Williams, também não conseguiu ir muito longe. O piloto do Canadá vai partir da penúltima posição.

A boa surpresa do treino foi do inesperado estreante Antonio Giovinazzi. O italiano que substitui Pascal Wehrlein na Austrália, já que o alemão ainda sente o impacto do acidente sofrido no último Race of Champions,ficou com a 16º posição, a frente de Kevin Magnussen e Stoffel Vandoorne. O belga, que vai fazer sua primeira temporada completa pela McLaren, encontrou dificuldades durante todo o final de semana.

No meio do grid, a decepção pode ter ficado por conta da Force India. Os seus carros com a pintura rosa, que chegaram a andar bem nos treinos livres, não chegaram ao Q3. Sergio Pérez ainda chegou muito próximo deste feito, enquanto Esteban Ocon não conseguiu passar de um 14º tempo.

Fernando Alonso, o cara que não mede as palavras quando as coisas estão complicadas, até conseguiu levar sua McLaren para uma bem razoável 13º posição no grid, o máximo que o seu conjunto conseguiria lhe entregar no momento.

Chegando finalmente para as cabeças, Lewis Hamilton mostrou que mesmo com tantas mudanças na categoria, ele ainda comanda quando a conversa é sobre classificação. O inglês superou Sebastian Vettel com um espetacular tempo de 1m22s188, e é bom também analisar que o alemão da Ferrari não esteve mal com o seu 1m22s456, mas não foi o suficiente para bater seu rival.

Valtteri Bottas, que ganhou a oportunidade da vida com uma vaga na melhor equipe atualmente, poderia ter dado a Mercedes uma dobradinha na primeira fila. O finlandês não conseguiu superar Vettel, mas foi por muito pouco, com a desvantagem de apenas 0s035. Kimi Raikkonen ficou com o quarto melhor tempo, mas muito distante da pole e dos tempos de Vettel e Bottas.

Max Verstappen salvou um quinto lugar para a Red Bull, já que o piloto da casa, Daniel Ricciardo, bateu e não conseguiu completar uma volta rápida. A Red Bull pode ser considerada a grande decepção do dia? Talvez, devido à grande distância para as suas concorrentes Mercedes e Ferrari. Muitos esperavam mais da equipe taurina.

A boa surpresa do dia ficou por conta de Romain Grosjean, que colocou sua Haas em uma ótima sexta posição. Felipe Massa, fazendo seu “retorno” a Fórmula 1, não pôde conseguir nada melhor que um sétimo lugar no grid.

A Toro Rosso também surpreendeu positivamente ao colocar os seus dois carros no top 10, com Sainz a frente de Kvyat.

A corrida tem largada prevista para as 02h00 da madrugada.

Grid completo:

q3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s